Newsletter 74: O camponês madeirense

Memoria News 74

A imagem dos cam­po­neses, “a que na Madeira dão o nome feio de vilões e villoas”, é associada a duas grandes linhas de ação: por um lado, a coragem e a força e, por outro, a pobreza e a passividade face a uma condição de quase inferioridade e de desprezo, por parte da sociedade.
A representação literária do homem do campo está associada à necessidade de conquistar a montanha. Ele é o cabouqueiro, antes de ser o lavrador; agiganta a sua pequenez face ao abismo e constrói degraus, serra acima, para neles plantar o pão. Ele é na expressão de Bulhão Pato, “Inda mais colossal de que um Golias”.
Em alguns casos, as personagens humanas surgem, mesmo, identificadas com a própria geografia, como se eles próprios fossem terra e pedra, como se, ao longo do tempo, se fossem transformando na matéria da própria ilha. Esta Newsletter pretende, assim, homenagear aquelas e aqueles que conquistaram a montanha, construíram as suas terras à beira do abismo e definiram, de algum modo, o rosto da Madeira.


Acerca do Autor

GMProfessor do Ensino Básico, é licenciado em Ciências da Educação com uma pós graduação em Estudos Políticos e Sociais. Foi jornalista em vários órgãos de comunicação social regionais e nacionais. É autodidata em artes gráficas e desenho de páginas web.Ver todos os posts por GM →

Deixar resposta

SRTC | DRC | CEHA–Alberto Vieira | Madeira