16 de maio – Dia Internacional das Histórias de Vida

DIHVida 08

No CEHA, a tarde de 3ª feira  foi de histórias, de memórias, de vidas contadas e cantadas. Dos Açores, veio a família Forjaz que recebeu das mãos da equipa do Projeto Memórias um pouco da vida dos pais, Cândido Pamplona Forjaz e Maria do Livramento de Mesquita Abreu, cujas cartas de amor, escritas entre 1924 e 1933,  nos foram entregues para que as trabalhássemos.

Eu tenho uma carta escrita” foi, assim, a primeira publicação apresentada nesta tarde. Depois, a Dra. Natércia Xavier, Diretora Regional da Cultura, apresentou o e-book, “Nã me esquece”, da autoria de Cláudia Faria e Graça Alves, um conjunto de crónicas baseadas na vida de gente de verdade.

Depois, foi o brinde, a música, as memórias que a romãzeira guardou, a partilha de histórias que hão de ser recolhidas…

Estiveram todos: os protagonistas da História e os que a estudam, a família Forjaz e a saudade dos pais…

Estivemos lá todos. A lembrar que a História é de todos e para todos.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Comentários

comentários

Acerca do Autor

GMProfessor do Ensino Básico, é licenciado em Ciências da Educação com uma pós graduação em Estudos Políticos e Sociais. Foi jornalista em vários órgãos de comunicação social regionais e nacionais. É autodidata em artes gráficas e desenho de páginas web.Ver todos os posts por GM →

Deixar uma resposta

SRETC | DRC | CEHA | Madeira