A Casa do Penedo

DSC 1317

A porta está sempre aberta … entrámos  …. o mirante tirou-nos a respiração … deixámos-nos ficar … assim… sem mais nada … a ouvir  o que o tempo tem guardado … a sentir o murmurar do basalto … o muralhar do mar lá ao fundo .. a ravina envolta numa espécie de algodão doce … as quedas de água rebeldes e o vento manso que desce serra abaixo …

… e depois … depois dêmos tempo ao tempo … e ouvimos o que Beatriz Silva e Manuel Rodrigues têm para contar … são eles os guardiões da Casa do Penedo…

… porque a casa é o nosso canto do mundo


Comentários

comentários

Acerca do Autor

Cláudia FariaMestre em Cultura e Literatura Anglo-Americanas. Membro do CETAPS ( Lisboa) e IABA Europe. As áreas de interesse são as relações anglo-madeirenses, a literatura de viagens, a escrita do eu, diários, (auto)biografias. Professora do ensino básico e secundário destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico.Ver todos os posts por Cláudia Faria →

Deixar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

SRTC | DRC | CEHA | Madeira