Abraço da Madeira 03 – O Brasil de Augusto

«Nesse tempo, era o Brasil, o lugar das idas. Diziam que era lindo, que quem ia ficava rico, que não se gastava muito dinheiro, que se falava a nossa língua, com um bocadinho mais de açúcar.

Augusto-Brasil(…)

Não tinha lá ninguém. Apenas contactos de madeirenses para um trabalho que podia ser o começo de uma vida nova.   Augusto era desenhador de bordados. Levou para lá o ofício que já desempenhava aqui, desde menino. Era uma fábrica pequena que cheirava ao que cheiravam aqui as casas de bordado, a anil e brasas de ferro. Teve a honra de desenhar, com outros madeirenses, as toalhas para as festas de inauguração da cidade de Brasília que mãos de mulheres – madeirenses também- bordaram com amor.

Logo que possível, aquietou o coração: mandou chamar a família, os pais, os irmãos e teria ficado por ali se o bordado no Brasil não entrasse em crise»
Abraço da Madeira de 21 Fev 2016 – RTP Play – RTP


Descarregar a crónica em PDF

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça AlvesLicenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

SRTC | DRC | CEHA | Madeira