Caderno Memória 04: Eu tenho uma carta escrita

C Memoria 04 Carta Capa

Entre 1924 e 1933,

Cândido Pamplona Forjaz e Maria do Livramento Lacerda Mesquita Abreu trocaram cartas entre Lisboa, os Açores, o Funchal. São cartas de amor que o Projeto Memória teve a honra de trabalhar, mas por onde passa a ação que decorre da vida, do amor, do quotidiano, da saúde, da vida social, da cultura, em Angra do Heroísmo e em Lisboa, da preparação do casamento e da casa que há de ser dos dois, mas também, a da política que teima em angustiar-lhes os dias, nomeadamente durante o ano de 1931, em que a Revolta dos Deportados ou das Ilhas (dos Açores e da Madeira) toma conta das folhas de papel que os navios levam e trazem entre a Terceira e Lisboa.
“Eu tenho uma carta escrita” revela o tempo e os olhares dos dois jovens sobre as sociedades onde vivem.

Comentários

comentários

Acerca do Autor

GMProfessor do Ensino Básico, é licenciado em Ciências da Educação com uma pós graduação em Estudos Políticos e Sociais. Foi jornalista em vários órgãos de comunicação social regionais e nacionais. É autodidata em artes gráficas e desenho de páginas web.Ver todos os posts por GM →

Deixar uma resposta

SRETC | DRC | CEHA | Madeira