DE FOGOS…

Obombeiro 01

Escreveu Álvaro de Azevedo:

Era Deus no principio,

E tudo crear pensou;   

Céo, Terra, agua e fogo.

 

E assim foi a criação do Arquipélago da Madeira. Pelo Fogo, se purificou a terra, se afugentou o mal e se abriram clareiras na floresta para nelas se assentar morada … Porém, às vezes, é o fogo que engole as florestas e reduz a vida a cinzas…

E tem sido assim muitas vezes … florestas, poios, casas, animais e gente engolida por labaredas indomáveis.

A 15 de agosto de 1962, “O Bombeiro”, revista especializada dada à estampa no Funchal inclui, na página 3 do seu primeiro número, a notícia do “pavoroso incendio ocorrido a 20 de agosto de 1878 na firma J. Payne & Son”, motivo que justificou a fundação da primeira corporação de Bombeiros no Funchal.

 

As notícias da época relatam “um medonho incendio (…) que se comunicou ao depósito de bebidas alcoólicas” e que causou enormes prejuízos na dita firma mas também nas casas vizinhas pois “ por se querer salvar tudo, se perdeu muita coisa”. É sabido que todos acudiam a ajudar os aflitos imbuídos no espirito humanista mas a verdade é que não havia nem um plano, nem qualquer ordem nem tão pouco aparelhos apropriados. Na maioria das vezes, formavam-se cordões de gente até as fontes, onde as bilhas de água passavam de mãos em mãos num movimento ritmado e incessante. Nos casos mais graves, os soldados juntavam-se à população no combate ao fogo. Até então, qualquer incêndio era apagado pela boa vontade e coragem dos que se aventuravam a enfrentar o calor das chamas.

 

Porém, em 1888 formou-se a primeira corporação. Fica aqui o registo.

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça Alves

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.

Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar uma resposta

SRTC | DRC | CEHA | Madeira