“Eu estive lá”

Memoria Severino Castro03

memoria_severino_castro04“EU ESTIVE LÁ” …
A importância das Mulheres na Guerra do Ultramar.
dizem as fotografias e os documentos de Severino de Castro, patentes numa exposição patente na Sala de Atividades Culturais da Junta de Freguesia de Machico. Era sábado, dia 29 de outubro, seis horas de uma tarde que se prolongou noite dentro…
Severino de Castro guiou-nos, então, a nós e ao Senhor Secretário da Educação, pelas memórias de um tempo que nunca esqueceu, porque as tem gravadas na alma e no corpo também…

Nós também estivemos. Falamos da importância das Mulheres para estes rapazes no longe do mato.

Escrever – versos ou cartas – era uma opção para passar o tempo, na ilusão de trocar as voltas ao medo. A melhor, talvez, porque permitia tecer redes de comunicação entre o cá deles e o lá dos amigos, dos pais, das madrinhas. Escrever representava não perder a lembrança das festas da terra, das cores das estações, das novidades de quem tinha [ainda] coisas para contar: quem casara, quem morrera, o que acontecera, que conversas se tinha nos portais das casas ou à porta das vendas.
Eram, sobretudo, as mulheres que mantinham ligadas as pontes entre as duas margens da pátria, não permitindo aos seus homens – que cumpriam o seu dever “lá longe, onde o sol castiga mais”, como cantava o Paco Bandeira – perder o contacto com os lugares e as pessoas que tinham ficado na terra, mantendo acesa a sua presença em casa e a presença de casa nos diversos terrenos de operações, impedindo-os de morrer: de tristeza, de solidão, de distância; preenchendo-lhes os vazios dos quarteis e das sanzalas. Tinham a função de manter intacto o fio [tantas vezes ténue] que os ligava à vida”.

Estão lá cartas dessas. E fotografias. E objetos. Está lá um tempo importante da vida.
O Projeto Memórias das Gentes aguarda a possibilidade de estudar este acervo… Nele encontraremos, certamente, pistas importantes para a nossa História. Na primeira pessoa: “Eu estive lá”!memoria_severino_castro02

Guardar

Guardar

Guardar

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça AlvesLicenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

SRTC | DRC | CEHA | Madeira