Madrinhas de guerra – anjos que adoçavam o medo….

Sobre Meninos Jesus https://t.co/9cHI2lzTX9 https://t.co/oVrYYxKawA

Madrinhas de guerra – anjos que adoçavam o medo….

 

XXXXXXXXX , o cavaleiro do ar, soldado para-quedista n.º xxxxx, em XXXX [Angola, Moçambique, Guiné….] , deseja corresponder-se com menina dos 17 aos 25 anos, alegre, comunicativa e que goste de música pop. Resposta para o SPM xxxxxxxxx..

 

 
Bastava um anúncio. Bastava a generosidade das raparigas. Ou a ilusão cor-de-rosa de estar a cumprir um dever.

Longe da vida, os militares viviam na expetativa da chegada do correio. Os aerogramas – ou bate-estradas– traziam novas do mundo, da paz, da terra, da alegria. O que se pedia às Madrinhas – anjos que lhes  adoçavam o medo – era que lhes escrevessem e lhes transmitissem coragem, confiança, orgulho pela prestação de um importante serviço à Pátria. Aquele. O de dar a juventude [e a vida].

Do lado de cá,  elas esperavam a volta do correio. E as palavras deles. E um retrato. E a esperança nas palavras finais: “Adeus e até ao meu regresso.”

 

Ainda está por estudar a função destas meninas – mulheres – anjos que seguraram o fio de muitas vidas do outro lado do Império. Este pode ser o princípio. Para isso, precisamos de conhecer as histórias das madrinhas de guerra, precisamos de ver as cartas que guardaram, precisamos de mostrar a sua importância.

 

SE FOI MADRINHA DE GUERRA OU GUARDA ESSAS MENSAGENS, POR FAVOR CONTACTE-NOS. Estamos aqui.

Rua das Mercês, nº 8 , Funchal

Tel: 291 214 970

Email:

Comentários

comentários

Acerca do Autor

GMProfessor do Ensino Básico, é licenciado em Ciências da Educação com uma pós graduação em Estudos Políticos e Sociais. Foi jornalista em vários órgãos de comunicação social regionais e nacionais. É autodidata em artes gráficas e desenho de páginas web.Ver todos os posts por GM →

Deixar uma resposta

SRTC | DRC | CEHA | Madeira