Outra memória

A 25 de agosto de 1947, a cidade do Funchal festejou com “modéstia mas significância” o dia do Bombeiro.

A primeira página do Diário de Noticias ocupou-se destas “cerimónias simples, sem aparato mas em perfeita harmonia com a missão discreta mas abnegada dos homens que compõem as corporações dos Bombeiros Municipais e dos Bombeiros Voluntários Madeirenses” (DN, 26 Agosto 1947,p. 1).

A Câmara Municipal do Funchal entregou os capacetes e as insígnias a 11 novos elementos dos Bombeiros Voluntários. A instrução destes novos membros ficou a cargo do chefe Luciano Sales Correia sob a direção do 1º Comandante, Raul da Conceição Mendes. Apesar de simples, a cerimónia contou com a presença do Presidente da Câmara, Oscar Baltasar Gonçalves, do vereador Ernesto Honorato Ferreira e ainda dos comandantes António Acácio Martins e Travassos Lopes. Todos os instruendos foram elogiados pelo Presidente da Câmara, tendo-se todavia, destacado José Nobrega, Francisco Avelino e Joao Carvalho que cumpriram com aprimorado desvelo os 8 meses de instrução.

Os festejos prosseguiram com um banquete servido no salão nobre dos Bombeiros Municipais onde “numa mesa guarnecida com flores” confraternizavam os membros das duas corporações. O menu foi do agrado de todos e após os discursos, o dia terminou com um brinde, seguido de um minuto de silêncio pelos bombeiros falecidos no cumprimento da sua missão.

E remata o Diário de Notícias que “ a festa do dia do Bombeiro decorreu com elevação” e felicitando o Comandante Raul da Conceição Mendes “pelo brilhantismo como decorreram as cerimónias”.

Guardar

Guardar

Guardar

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça AlvesLicenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar uma resposta

SRETC | DRC | CEHA | Madeira