Quando os objectos são memória…

Bombeiros Capacete Dest

Não. Já não se usa. Mas estes objetos faziam parte do dia-a-dia dos quartéis de bombeiros. Ao toque da sirene, ou dos sinos, desciam o pau de sebo. Todos os minutos eram importantes para salvar.

Agora, são poucos os bombeiros que ainda o usam. Em Machico, alguns rapazes ainda fazem questão de chegar assim ao andar de baixo.

 

No quartel de Machico, ainda se guarda o passado:

– a rede onde se recebiam as pessoas que se atiravam das casas, quando o fogo as consumia, ainda é estendida ao sol, de vez em quando e arejada…

– os capacetes de madeira,

– o modo como se operavam as comunicações

– as máscaras…

 

Apesar da precariedade das condições, esta gente nunca deixava de cumprir o seu dever.

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça Alves

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.

Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar uma resposta

SRTC | DRC | CEHA | Madeira