Sobre a palavra “Bombeiro”

PT ABM CMFUN 2627 003 M0003

A origem do vocábulo “bombeiro” tem, indubitavelmente, origem na língua francesa, no seu vocábulo “pompier”, produto de um outro mais complexo: “sapeur pompier”.

A significação associada a esta denominação, relaciona-se, atualmente, com a utilização por parte do técnico de socorro de bombas para pressurizar água no combate a incêndios (CARITA, 1988, p. 9).

Rui Carita, quando escreveu a história dos 100 anos dos Bombeiros Municipais do Funchal, assegura que assim é, mas fá-lo de forma demasiado superficial e sem aprofundar a questão. Questão, que suscita igualmente algumas incongruências noutras obras e em alguns estudos académicos, originadas por se utilizar o vocábulo “bombeiro” para denominar, antes da idade média, aquele que extinguia o incêndio e o vocábulo “bomba” para denominar um aparelho para pressurizar água, também do período que antecede essa era.

(…)

Portanto, é insofismável que a origem etimologia do lexema “bombeiro” radique em França. Está ligado à organização militar, que tutela os bombeiros sapadores locais desde a idade média até à data, e a “prova”, se assim se poderá denominar, não está apenas na granada no brasão do capacete cerimonial, mas, e mais relevantemente, nos machados cruzados existentes na maioria dos brasões de armas dos corpos de bombeiros, inclusive da Liga dos Bombeiros Portugueses.

Brasão de Armas da Liga dos Bombeiros Portugueses
(Fonte: www.lbp.pt)

(Texto de José Cândido Fernandes Minas, com supressões)

Comentários

comentários

Acerca do Autor

Graça Alves

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, é professora do ensino Secundário e tem participado em diversos projetos literários. Está destacada no Centro de Estudos de História do Atlântico, onde tem desenvolvido trabalhos ligados à literatura e às histórias de vida.

Ver todos os posts por Graça Alves →

Deixar uma resposta

SRTC | DRC | CEHA | Madeira