uma carta misteriosa

A vida também se completa com os imprevistos … com os acontecimentos inesperados que chegam ao nosso colo ….

A nossa história de hoje começa com um passeio em família na Praia Formosa. Vitor Bettencourt, encontrou-se com uma folha de papel amarelecido que esvoaçava ao sabor do vento atlântico …

Sem hesitar, pegou na folha … olhou de relance e vendo de que se tratava de uma carta datada de 11 de março enviada de Lourenço Marques (presumimos que do ano de 1944) e resolveu guardá-la. Já se passaram cerca de 10 anos e há dias, a carta ganhou vida ( sim, porque as palavras têm vida própria!!) e exigiu de Vitor Bettencourt um olhar mais atento:

O primeiro passo foi transcrever a missiva. Em seguida, e para facilitar a leitura dos menos habituados, Vitor Bettencourt reescreveu a carta, já sem erros ortográficos e tentando completar o que entre linhas se esconde. Não satisfeito ainda, passou alguns dias no Arquivo Regional do Funchal à procura de Sofia … a destinatária da carta …. aquela a quem o marido escreveu dando conta de que

estou muite  bam pago 800$00 per meis cama e comoda roupa lavada e gomado e pontiada …

A carta está ( supostamente) incompleta. Faltará eventualmente alguma folha. Não sabemos quem é a Sofia. Não sabemos quem é o marido de Sofia. Mas sabemos que Sofia e o marido viveram longe um do outro, que ele lhe escrevia para matar as saudades e para lhe dar noticias do que estava fazendo e de como ia a vida em Lourenço Marques…

É assim a vida… interrompida… ziguezagueante …. esvoaçante, mas feita de gente como nós …

a misterious letter

Life is also made up of unexpected and special moments … the story of today began with a family walk at Praia Formosa. Vitor Bettencourt found an old and yellowish piece of paper flying in the Atlantic breeze…

He picked it up and gave it a glance. It was a letter dated from March 11th (presumably from the year 1944) and decided to keep it in a drawer at this home office. It has passed almost ten years, and some days ago, the letter gained life (yes, words do have a life of their own!) and demanded Vitor Bettencourt to examine it more carefully:
The first step was to transcribe the letter. Then, and in order to facilitate reading, Vitor Bettencourt re-wrote it, getting rid of the mistakes and trying to complete the sense, that is, reading between the lines – a demanding but rewarding task, indeed. Later, and still not pleased with the results, he spent some days at Funchal Archive looking for Sofia … the person to whom the letter had been sent … the wife whose husband had written telling that :

         I am very well paid 800$00 per month for a bed and cleaned laundry…

The letter is incomplete. We think that a page might be missing. We don’t know who Sofia is. We don’t know who her husband is, either. However, we do know that Sofia and her husband lived apart from each other and that he wrote to her telling about his life in Lourenço Marques and how he missed her so much…

Sofia’ s letter is a perfect example of the ways of life … fragmented, twisted … winding, but made up of people just like you and I.

Comentários

comentários

Acerca do Autor

GMProfessor do Ensino Básico, é licenciado em Ciências da Educação com uma pós graduação em Estudos Políticos e Sociais. Foi jornalista em vários órgãos de comunicação social regionais e nacionais. É autodidata em artes gráficas e desenho de páginas web.Ver todos os posts por GM →

Deixar uma resposta

SRTC | DRC | CEHA | Madeira