Mobilidades Humanas no Arquipélago da Madeira

C 9ilha 02 Bibliografia

C-9ilha_02_bibliografiaO tema da imigração foi, durante muito tempo, uma página em branco na produção científica madeirense. Foi quase sempre defendido que a Madeira era um mercado de origem de emigrantes e nunca um destino de imigrantes.
Embora a palavra “imigração” não pareça constar da História madeirense, temos de dizer que este fenómeno foi uma constante na nossa História, não obstante a comunicação social e o universo político só se terem apercebido desta realidade, a partir de finais do século XX .
As grandes obras especializadas para a construção do aeroporto e da rede viária obrigaram necessariamente à entrada de mão-de-obra do continente português e de outras origens, nomeadamente do Brasil e dos países de leste.
Na verdade, ignora-se, frequentemente, que a sociedade madeirense foi fruto da imigração de gentes do reino e de outras proveniências europeias que se misturaram com escravos de Canárias, Norte de África e Costa da Guiné.


Acerca do Autor

Alberto VieiraInvestigador-Coordenador na área da História, é licenciado e doutorado em História. Foi diretor do CEHA e coordenador de vários seminários e encontros na âmbito das Ciências Sociais e Humanas. Como insular, é um defensor da Nissologia/Nesologia como “ciência para a investigação e estudo das ilhas”. É o coordenador do projeto “MEMÓRIA”.Ver todos os posts por Alberto Vieira →

Deixar resposta

SRTC |DRC |CEHA | Madeira