Newsletter 67: Dia Internacional das Histórias de Vida

Newsletter 67: Dia Internacional das Histórias de Vida

O dia Internacional das Histórias de Vida foi institucionalizado em 2008, pela Rede Internacional ...

Ler Mais

Newsletter 66: Há mouro na costa…

Newsletter 66: Há mouro na costa…

Serve esta expressão popular para fazer memória de muitas dores do Porto Santo, das investidas de ...

Ler Mais

Newsletter 65: Um lugar de Colombo  e outras histórias

Newsletter 65: Um lugar de Colombo e outras histórias

Cristóvão Colombo inscreveu o seu nome na História do Porto Santo. Quem foi esta personalidade? ...

Ler Mais

Newsletter 64: (entre santos de vestir,  o Porto Santo e a África do Sul)

Newsletter 64: (entre santos de vestir, o Porto Santo e a África do Sul)

Fevereiro encheu de histórias o nosso trabalho. E de memórias. E de silêncios. Fomos à procura ...

Ler Mais

Newsletter 63 – Porto Santo: 600 anos

Newsletter 63 – Porto Santo: 600 anos

Sobre comemorações “A história não é comemoração, nada tem que ver com comemorações, é ...

Ler Mais

Newsletter 62: Sobre Meninos Jesus

Newsletter 62: Sobre Meninos Jesus

Na Festa, as casas madeirenses transfiguram-se. Cedo. Para que o espírito de Natal vá chegando, ...

Ler Mais

Descobrir!

Memória das Gentes que fazem a História.

roma-fruto450x338Como [se fosse] uma romã

A romã é a Memória das gentes, das Mobilidades e da Autonomia. Una, coroada, é composta por uma multiplicidade de sementes que se guardam em bolsas individuais (histórias de vida), ligadas entre si, por uma membrana branca (documentos e registos) que as organiza.
Cada pessoa, com a sua história, com os retratos, os objetos e os documentos que foi guardando, ao longo da vida, contribui para esta Memória coletiva. A casca da romã transforma-se, então, num guarda-memória das memórias das gentes. Só então, a História fica completa, porque com gente dentro e com alma dentro da gente.
Ver


Memória: Um projeto com três dimensões

MEMÓRIA (das gentes que fazem a História) dá protagonismo ao indivíduo, enquanto agente do processo histórico. Preservar e transmitir valores e experiências, salvaguardando a memória individual e coletiva constitui a missão de fixar este registo nas páginas da História da Madeira.

Ver

9ilha-logo-250x250

NONA ILHA é o registo da diáspora dos madeirenses e dos porto-santenses. Estamos a reunir, registar e guardar histórias de vida, cartas, postais, fotografias, documentos. Da união entre os que partiram e os que ficaram é possível criar uma sociedade diferente, onde todos têm lugar.

Ver

autonomia_logo

Memória da AUTONOMIA regista e salvaguarda os testemunhos e as vivências dos madeirenses, de ontem e de hoje. Perpetuar essas vozes e anseios é um dever de todos. A História da Autonomia faz-se a cores, com pessoas, sentimentos, desejos e também desilusões.

Ver

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Fugir do “English weather”

Memoria Jviveiros 3

João Viveiros trabalhava na Casa da Luz. Tomava conta de um posto na Raposeira. Em 1996 saiu da Madeira. Tornou-se …

Ler Mais

Do Brasil

Maria Sardinha 1

O coração de Maria tem duas cores. Canta samba no bailinho. Maria Sardinha procura a Madeira no Brasil onde tem a …

Ler Mais

Abraço da Madeira 05 – No vapor do Cabo

Abracomadeira

A ilha guarda histórias entre os montes, nos recantos que o mar inventa, nas florestas que embebedam o ar. São …

Ler Mais

Newsletter 40: Do Paúl do Mar ao Panamá

Memoria News 40

Por sermos rodeados de mar… as chegadas e as partidas, as despedidas e os reencontros, nascem entranhados na nossa pele …

Ler Mais

A outra margem do mar do Paúl

CARTAS E FOTOGRAFIAS 00003 1024x402

Do Paúl, saíram homens para o mar. Foram à procura da riqueza líquida de outras águas, no Panamá. Será esse o tema …

Ler Mais

Vozes da Memória 4 – O coração em forma de ilha

Memoria Vozes Destaque

A história que vou contar tem um nome: Manuel Alexandre da Costa e tem o coração em forma de ilha, …

Ler Mais

Abraço da Madeira 04 – Em dia de festa todo dia chorei por ti

Abracomadeira

A 21 de Janeiro de 1921, Maria da Conceição Teixeira dos Santos escreve para o marido, Francisco dos Santos. Ela …

Ler Mais

Por entre balanças, serrotes, caixotes …

Memoriadasgentes Luis Abreu 02

Bem no centro da cidade… o passado esconde-se por entre velhas escadarias … por entre balanças, serrotes, caixotes … … …

Ler Mais

O alemão

Augusto Brasil Alemao

Todos os marítimos se lembram dele. Era mau, muito mau. – Até prendeu o pai, disse o Anão (Duílio Lomelino). …

Ler Mais

Abraço da Madeira 03 – O Brasil de Augusto

Augusto Brasil

«Nesse tempo, era o Brasil, o lugar das idas. Diziam que era lindo, que quem ia ficava rico, que não …

Ler Mais