Newsletter 66: Há mouro na costa…

Newsletter 66: Há mouro na costa…

Serve esta expressão popular para fazer memória de muitas dores do Porto Santo, das investidas de ...

Ler Mais

Newsletter 65: Um lugar de Colombo  e outras histórias

Newsletter 65: Um lugar de Colombo e outras histórias

Cristóvão Colombo inscreveu o seu nome na História do Porto Santo. Quem foi esta personalidade? ...

Ler Mais

Newsletter 64: (entre santos de vestir,  o Porto Santo e a África do Sul)

Newsletter 64: (entre santos de vestir, o Porto Santo e a África do Sul)

Fevereiro encheu de histórias o nosso trabalho. E de memórias. E de silêncios. Fomos à procura ...

Ler Mais

Newsletter 63 – Porto Santo: 600 anos

Newsletter 63 – Porto Santo: 600 anos

Sobre comemorações “A história não é comemoração, nada tem que ver com comemorações, é ...

Ler Mais

Newsletter 62: Sobre Meninos Jesus

Newsletter 62: Sobre Meninos Jesus

Na Festa, as casas madeirenses transfiguram-se. Cedo. Para que o espírito de Natal vá chegando, ...

Ler Mais

Newsletter 61: A Venezuela entre o presente e o passado

Newsletter 61: A Venezuela entre o presente e o passado

É incontestável que, no quadro histórico das mobilidades madeirenses, a Venezuela foi um dos ...

Ler Mais

Descobrir!

Memória das Gentes que fazem a História.

roma-fruto450x338Como [se fosse] uma romã

A romã é a Memória das gentes, das Mobilidades e da Autonomia. Una, coroada, é composta por uma multiplicidade de sementes que se guardam em bolsas individuais (histórias de vida), ligadas entre si, por uma membrana branca (documentos e registos) que as organiza.
Cada pessoa, com a sua história, com os retratos, os objetos e os documentos que foi guardando, ao longo da vida, contribui para esta Memória coletiva. A casca da romã transforma-se, então, num guarda-memória das memórias das gentes. Só então, a História fica completa, porque com gente dentro e com alma dentro da gente.
Ver


Memória: Um projeto com três dimensões

MEMÓRIA (das gentes que fazem a História) dá protagonismo ao indivíduo, enquanto agente do processo histórico. Preservar e transmitir valores e experiências, salvaguardando a memória individual e coletiva constitui a missão de fixar este registo nas páginas da História da Madeira.

Ver

9ilha-logo-250x250

NONA ILHA é o registo da diáspora dos madeirenses e dos porto-santenses. Estamos a reunir, registar e guardar histórias de vida, cartas, postais, fotografias, documentos. Da união entre os que partiram e os que ficaram é possível criar uma sociedade diferente, onde todos têm lugar.

Ver

autonomia_logo

Memória da AUTONOMIA regista e salvaguarda os testemunhos e as vivências dos madeirenses, de ontem e de hoje. Perpetuar essas vozes e anseios é um dever de todos. A História da Autonomia faz-se a cores, com pessoas, sentimentos, desejos e também desilusões.

Ver

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Entre a Madeira e a Madeira [ as áfricas]

O protagonista de hoje embarca no navio Angola, no dia 28 de dezembro de 1960. Tem 18 anos, uma carta …

Ler Mais

«Poor kids»

A casa é um lugar de memórias. Cada objeto conta a história de um cá ou de um lá, onde …

Ler Mais

uma carta do Brasil

13 de Novembro 1985 Amiga Dona … Desejo que esta minha carta os vá encontrar de saúde assim como o …

Ler Mais

há histórias assim!

e o mundo é uma ilha … uma ilha de afetos e instantes que nos trazem à memória sorrisos estridentes …

Ler Mais

Um presente: http://www.youtube.com/watch?v=UAZuI1QvRT0&feature=youtube_gdata

Ler Mais

Pistas de conversa

Manuela Rosa e Estêvão Rosa: –  A(s) comunidade(s) portuguesa(s) na África do Sul – Os homens e as mulheres– As diferenças entre …

Ler Mais

REFLEXÃO

La historia oral es la historia hablada: el registro de los recuerdos irrepetibles y las historias de vida de la …

Ler Mais

Página 47 of 49« Primeiro...203040«4546474849»